Domínio Público


Um espetáculo de cinema by Domínio Público
3 novembro, 2006, 1:55 pm
Filed under: cinema, Ricardo Romana

Por Ricardo Romana

Abro meu espaço abordando um dos temas de que mais gosto… Cinema. E caiu justamente no período em que acontece o maior evento de Cinema da América Latina, a 30ª Mostra Internacional, em São Paulo. Na 1ª eram pouco mais de 20 filmes. Hoje são mais de 400, o que nos mostra um fenômeno da popularização da sétima arte. Filmes do mundo todo, de diversos gêneros, para todos os gostos. Mas não vale apenas ser eclético. Tem de saber degustar com qualidade.

E pensar que um dos meus cineastas favoritos já passou por esta Mostra como um ilustre desconhecido, com o filme “Cães de Aluguel”, do qual apenas 10 sortudas pessoas estiveram presentes à sessão. Tarantino não esperava que viesse a se tornar um dos Mestres do Cinema Contemporâneo. Não só ele, como muitos outros que despontaram do anonimato para a consagração.

Mas é óbvio de que não só de filmes postulantes ao sucesso vive o evento. Debutantes também competem sala a sala com filmes premiados nos principais festivais, como Cannes, Veneza, Berlim, entre outros. Babel, Volver, Belle Toujours, Flandres, A Soap, Os Infiltrados… gostaria de ter assistido a todos eles. Mas, mesmo sem ser um crítico de cinema, preferi adiá-los para quando a maioria deles entrassem em circuito nacional.

Faço uma exceção ao vencedor da Palma de Ouro em Cannes, o irlandês “The Wind That Shakes The Barley”, com um elenco bastante desconhecido (salvo o ator Cilliam Murphy, que já esteve nos Blockbusters “Batman Begins” e “Vôo Noturno”), o que não compromete nem um pouco na excelente performance dos personagens. O filme, dirigido magistralmente pelo cineasta Ken Loach, mostra a política em conflito associada a uma guerra civil da qual os irlandeses buscam sua liberdade frente aos britânicos, o que leva à obra a tons de batalha épica, sem perder é claro a racionalidade política.

Eu não poderia deixar de ver um filme iraniano, sempre lembrado e exibido nas salas da Mostra Internacional. Mas esse em especial, vencedor do prêmio do Júri do Festival de Berlim, não tinha grandes conflitos e apelo dramático. Com “Fora de Jogo”, Jafar Panahi foca a luta pela liberdade feminina na sociedade iraniana, e enaltece a coragem das mulheres. Ou melhor, das meninas, que tentam ir ao estádio de futebol torcer pela seleção do seu país. E mostram serem mais valentes do que os soldados, com medo de perder seu emprego ou prestarem serviços comunitários.

Enfim, a cada filme é uma nova emoção, uma nova experiência. E tudo leva a crer que a Mostra é mais do que você assistir a um filme todo fantasioso, cheio de efeitos especiais, tipicamente hollywoodiano. É você poder refletir, imaginar, pensar, concatenar, chorar e, acima de tudo, aprender.

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

Adorei seu texto, vc tem telefone? Gostaria de discutir melhor a respeito da digestão ou indigestão do cinema globalizado rsrs beijos

Comentário por Regina




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: