Domínio Público


Cadê a hora que estava aqui? by Eduardo Simões
8 novembro, 2006, 3:17 pm
Filed under: Eduardo Simões, sociedade, tempo

Foi como num passe de mágica. Um pulo no tempo como no filme Meia-Noite e Um.  Bate-se o olho no relógio e ele marca, meia-noite. No instante seguinte, os ponteiros anotam, uma da manhã. Assim, sem mais nem menos, você vê 3.600 segundos lhe escorrerem pelos dedos em menos de um milésimo.

Sim, senhoras e senhores, estou falando da mudança para o chamado horário de verão –aliás, nunca entendi este nome, para mim o mais apropriado seria o equivalente no inglês “daylight saving time”, ou seja, uma mudança no horário para usar a luz do dia com o fim de economizar eletricidade.

O fato concreto, como gosta de dizer um certo político, é que a mudança para o horário de verão, embora necessária no país do apagão e da escassez de investimentos em infra-estrutura, furta deste que vos tecla, e de vocês que lêem, uma hora preciosa. E justamente quando? No tão esperado e aguardado fim de semana.

Pode parecer uma reclamação ridícula, reconheço. Até porque essa coisa de horário de verão é bem mais velha que esse blog, que a Internet e que o autor dessas linhas. Mas imagine a situação.

Um casal de namorados se conhece num bar na tarde do sábado. Conversa vai, conversa vem e eles se identificam. Vão juntos para uma danceteria quando a noite já é viva. Lá, fica claro que eles precisam de um pouco mais de privacidade para consumar a relação fulminante de amor que se abatera sobre ambos. Os dois estão em seus automóveis próprios. A madrugada se aproxima e eles decidem marcar a consumação da paixão para a 00h30 numa “pousada” na beira da Rodovia Raposo Tavares.

Pronto!!! A relação nunca será consumada e uma história de amor será jogada na lata do lixo!!! Sabe por quê? Porque não existirá 00h30 do domingo!!! A hora de romance do casal foi roubada!!! Pelo horário de verão!!!

Existem outras implicações práticas. E quem, por algum motivo, precisa acordar cedo no domingo. Quantas gripes, resfriados, sapinhos e outros males não afligirão essa pessoa só porque sua imunidade foi abalada pela hora de sono perdida.

É como se a pessoa tivesse de enfrentar um fuso-horário com a desvantagem de que não estará viajando, fechando novos negócios, ganhando mais dinheiro, conhecendo novos lugares e pessoas, matando a saudade de parentes distantes. Não! Você apenas perdeu uma hora!

À imensa maioria que (ainda) está lendo esse texto e pensando: “Qual o problema desse cara? Será que ninguém o avisou que em algum momento o horário de verão acaba e essa hora é devolvida?” Sim, sim, eu sei que essa hora será devolvida. Mas quem garante que eu não a teria aproveitado melhor agora do que em 25 de fevereiro, quando ele acaba?

Além do mais, assim como acontece nas operações de empréstimos em bancos e financeiras, essa hora deveria ser devolvida com juros. Se eu pedir 1.000 reais em qualquer banco hoje e, daqui a quatro meses, devolver os 1.000 reais, ou o gerente ri da minha cara ou manda o segurança me dar um pau e ainda suja meu nome na praça. Então qual a razão de aceitarmos tão passivamente a devolução dessa hora sem o devido e justo pagamento de juros. Afinal, não dizem por aí que tempo é dinheiro?

E os danos à saúde? Sim, meus amigos e minhas amigas, eles existem. Sugiro enfaticamente que pesquisadores desocupados realizem um estudo para saber se a economia de energia nesse período não é compensada pelos gastos na saúde pública por causa do relógio biológico humano, que insiste em manter o horário padrão durante o horário de verão.

Por isso, indo contra o conformismo e a incapacidade de indignação que vêm tomando conta do povo brasileiro, insisto: devolvam a nossa hora ou paguem esse “empréstimo” com os juros adequados! Que tal taxa Selic?

Anúncios

14 Comentários so far
Deixe um comentário

Caraca Lusinha, quanto rancor…. mas, pra variar, ótimo texto meu amigo…!!
Abs
Batata Boituvense

Comentário por Diego Bonel

Portuga, do que você está reclamando? Você dorme até as duas da tarde!!! E além de tudo volta pra casa uma hora mais cedo! Pior eu que tenho que acordar às seis da madrugada – como se sete já não fosse suficiente. Tem gente que reclama de barriga cheia…

Comentário por danielamoreira

Dani, quem me dera acordar às duas da tarde. O problema todo é a hora roubada no fim de semana…
bjs

Comentário por Lusa

Só me pergunto agora quem é essa dama misteriosa que motivou tão bela crônica e depositou tanto rancor nesse coraçãozinho lusitano…

Comentário por danielamoreira

Tive a mesma sensação… Má dama, má dama que fez o valente patrício se digladiar com o horário de verão!

Comentário por vinacherobino

É, Lusinha…
É engraçado, ás vezes a gente sente fica pensando
Que está sendo amado, que está amando e que
Encontrou tudo o que a vida poderia oferecer
E em cima disso a gente constrói os nossos sonhos
Os nossos castelos e cria um mundo de encanto, onde tudo é belo
Até que a mulher que a gente ama vacila e põe tudo a perder
E põe tudo a perder…

Comentário por danielamoreira

[…] Domínio Público De segunda a sexta, num computador perto de você « Cadê a hora que estava aqui? Em destaque, no Domínio Público: » […]

Pingback por Procura-se « Domínio Público

Ô portuga, deixa de ser bobo…..vc fica em casa todo o sábado….essa hora nao te faz falta….vc tah é tentando um jeito de derrubar um governo legítimo e aclamado pelo povo….heheheheheheheh….abs

Comentário por Falabella

[…] Cadê a hora que estava aqui? […]

Pingback por Destaques « Dani Moreira

Lusa, vc é um agitador barato, hahaha, isso é intriga da oposição, hahahahahah

Comentário por Flavius

Gente,

Acho que o Lusa ta bravo por ter perdido uma hora de cerveja! A “dama” dele, com certeza, deve ser loira e gaeada, não sabio portuga? De qualquer forma, PARABENS a todos vocês pelo belo trabalho. O dominio é muito bom. Especialmente a você Lusinha que consegue escrever bem até nas horas tristes quando roubam sua dama ou a Lusa perde. Ótimo texto.

Abraços e saudades de todos

Eduardo Soares

Comentário por Eduardo Soares

[…] Inventou uma história maluca, cheia de coisinhas, historinha. Depois, teve a pachorra de me falar que se atrapalhou com o horário de verão. Explore posts in the same categories: Vinícius Cherobino, sobre a garota do horário de verão […]

Pingback por As mentiras que certos homens contam « Domínio Público

Ciccio,

Está é a primeira vez que entro aqui, o primeiro texto que leio… Os dois primeiros parágrafos estão ótimos! Depois ficam depressivos, tanto texto quanto o autor…

Mesmo assim, achei muito divertido a idéia de postar seus comentários! Continue assim e no futuro não muito distante, estaremos lendo ótimas colunas deste ainda não famoso colunista!

Abs!!!

Comentário por TK

Tiaguinho,

Obrigado pelos elogios e pelas críticas.
Abraços do seu depressivo amigo.

Comentário por Eduardo Simões




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: