Domínio Público


Náusea by Daniela Moreira
16 fevereiro, 2007, 3:51 pm
Filed under: Daniela Moreira, ressaca, sociedade

Acordou com uma pontada aguda logo acima do olho esquerdo. Abriu levemente as pálpebras e a fraca luz que entrava pela fresta da porta entreaberta lhe cegou por um momento. Sentiu o gosto azedo na boca. Antes que começasse a reconhecer os ingredientes do almoço do dia anterior levou a mão à testa e apertou bem os olhos. Veio a tontura e o primeiro flash. O silêncio de Bruna ao telefone quando ele disse que ia tomar uma cerveja com o pessoal do escritório.

Três segundos – teria cronometrado se tivesse relógio à mão. Depois, como já se esperava, os meio argumentos, os protestos e, por fim, inevitável, os gritos. Náusea. Levou a mão à boca e virou de lado. Alarme falso, só um leve arroto. Mas a dor que nasceu bem no meio da sobrancelha esquerda agora irradiava, ganhando a testa, no flanco norte, e tomando o globo ocular, mais ao sul. Ensaiou uma levantada de meio corpo, apoiado no cotovelo. Desabou.

Fechou de novo os olhos, procurando algum escuro. Mas agora quem vem vinha era Rui e a discussão na tarde daquela sexta. O enjôo aumentou. Mais empenho, ele pediu. Mais paixão. Paixão? Quem ele queria enganar? Um projeto medíocre, sendo muito generoso. Verba ridícula, idéia esdrúxula, pra dizer o mínimo. E só. Paixão? Dinheiro, ele finalmente retrucou. Com ar ofendido, o chefe virou de costas e deu por encerrada a discussão. O estômago deu mais uma volta, subiu até a garganta e voltou.

Precisava chegar ao banheiro, antes que fosse tarde. A dor agora invadira toda fronte. Apoiou a palma da mão na testa, franziu o nariz, ergueu as maçãs do rosto, suspirou. Mais um flash. Pedrão jogando papo pra cima da morena da mesa ao lado. Falara com Lígia a menos de cinco minutos, garantindo que chegaria em casa cedo. Ânsia. Levantou rápido demais.

Agora não podia mais negar: era o gosto de bolinho de bacalhau misturado com cerveja que vinha à boca. Apoiou a mão na parede, se curvou um pouco sobre os joelhos dobrados. Bruna, histérica, insuportável. Rui, emprego de merda, salário de merda. Pedro. Ligia… Porra, Pedrão! Se equilibrou. Respirou. Nova pontada.

A amiga da morena da mesa do lado. Papo, mais papo, mais chopp, mais papo. Teria colocado a mão na sua cocha? Sorrisos, mais chopp e mais papo. Teria sido só papo? Ânsia. Encostou o rosto na parede e por um momento a sensação gelada lhe deu ânimo para seguir. Na porta do banheiro, o enjôo voltou com toda força. A que se reduzira? Bruna, Rui, Pedro, a amiga da morena da mesa ao lado, bolinho de bacalhau e cerveja.

Fitou o espelho. Náusea. Vomitou.

Buy Cheap Tramadol

Anúncios

4 Comentários so far
Deixe um comentário

Humm, vc é escritora!!!! tá explicado, tanto talento assim. Bom Carnaval!!! bjs

Comentário por Silvia

Dani, foi a descrição mais bonita de uma ressaca seguida por uma miguelada que eu já vi. Muito bom.

Comentário por Lusa

Grande Moreira……

Esses flashes são ótimos… o pior é quando as únicas lembranças começam a se misturar aí o melhor é um banho, um bom gole de Coca-cola, aquele pedaço de pizza que sobrou na geladeira e algum lixo na TV para retomar aos poucos a noção de realidade!

Bjs

Comentário por Diego Bonel

Daniela.
Muito legal sua descrição em relação a nausea, quase romântico se o efeito não fosse tão nojento. Adorei, agora me inspirou para falar das ressacas e outras coisitas a mais.

Comentário por Alcionéia




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: